23 abril 2007
posted by Paulo Vivan at 11:20 PM

Esse negócio do cara que você zoou na escola voltar para te matar é bobagem. Pura bobagem. E daí que hoje ele não consegue viver em sociedade e ainda não conseguiu sair da casa da mãe? Eu também moro com a minha mãe! Sim, eu não sou mais virgem, verdade, mas e daí? Sexo é superestimado hoje em dia. Veja só, depois desses anos e anos fazendo sexo, já faz parte do dia-a-dia, é como comer pão com manteiga (quando o pão está quentinho, óbvio, e a manteiga derrete, deliciosa, ficando entre o líquido e o sólido, ah, que delícia...). E até pornografia - que quando eu tinha 13 anos só podia ser comparada ao evento de alienígenas abrirem o teto da minha casa e me darem um videogame novo - já não tem a mesma graça. Afinal, depois do centésimo milésimo filme, todas as tetas parecem as mesmas. E eu tenho certeza que o meu amigo de infancia, o tal zoado, mesmo ainda virgem, pensa como eu.

É por isso que eu acho que ele não voltaria para me matar, não enquanto eu moro na casa da minha mãe. Ele, como eu, sabe que não se pode fazer feio na frente da mãe dos outros. Ele, como eu, sabe que quando a minha mãe vai dormir eu sutilmente bloqueio a porta do meu quarto com uma cadeira, logo, ele sabe que não vai dar pra entrar (nem ela). Ninguém quer entrar no quarto de quem bloqueia a porta com uma cadeira. Vai saber se tem alguém dentro, se estão ocupados e tal. Até pelados podem estar. Não, não, ele sabe que o lugar dele é do lado de fora. Mas nem sempre foi assim.

É. Ele não pode negar. Sim, ele era zoado, mas que ele era da turma ele era. Estava em todas as festas, aniversários e tudo mais. E não, eu não acho que existe a diferença de "rir dele" e "rir com ele", afinal, quando se está rindo, cara, não dá pra pensar em outra coisa. A não ser sexo. É, isso não sai da cabeça, não tem jeito. Mas, bom pra ele. AIDS é uma realidade, olha só o perigo. E o preço da camisinha no motel? Um absurdo, eles sabem que ninguém anda com camisinha na carteira, desgraçados. Faça só as contas e veja o quanto você pode economizar não fazendo sexo.

E outra, quem quer viver em sociedade? Vejam os índios, eles não vivem em sociedade. Eles não foram pra escola. Eles tem até terras que o governo dá pra eles, e tudo isso sem viver em sociedade. Nossa sociedade, eu quero dizer. A deles é diferente, todo mundo pelado, todo mundo come todo mundo, uma loucura. Deve ser legal. E não tem AIDS. Nem camisinha. Nem cadeira na porta. E a mãe? Bem, também anda pelada.

Então, fica aí a minha dica, caro amigo de infância. Pare de ligar todas as noites e respirar no telefone e siga rumo o Alto do Xingu. Lá, grandes aventuras o esperam. Lá longe da sociedade, da civilização e das linhas telefônicas, onde ninguém sabe que você é virgem e você pode aplicar todo o conhecimento acumulado em anos e anos de pornografia.

Boa sorte Caio/Rafael/Pablo/Zé Ricardo/Jonas/Manezinho/Hugo!