26 maio 2006
posted by Paulo Vivan at 12:24 PM

UM NOVO MUNDO

Pergunta: Existe algo mais terrível do que as atrocidades cometidas pelos nazistas?
Resposta: Sim. Dois caras se beijando.

Nada como um pouco de homofobia para começar o dia. Não que eu seja homofóbico. Diabos, tenho certeza que deve ser ótimo ser gay, tem parada, bandeira, música e até deve ter comida gay. Um crepe, por exemplo. Mas é que o respeito que os homossexuais conquistaram na sociedade faz deste o momento perfeito para enquadrar as piadas gay na categoria humor negro.

O que falar de um negro gay que gosta de ser amarrado, acorrentado e gosta de apanhar? Meu deus! Quais as possibilidades de piadas só ali?

Entre o círculo heterossexual os xingamentos carinhosos ”gay”, “bicha”, “fruta”, perdem o sentido quando o seu melhor amigo resolve sair do armário. E isso é inadmissível. Vou chamar ele de que? Bobo? Isso vai fazer com que eu vasculhe o dicionário em busca de palavras novas. O que vai fazer parecer com que eu seja o bobo.

Outros problemas trazidos pelos homossexuais são os do mundo fashion. Agora que é ótimo ser gay, as roupas gay são ótimas e é ótimo que o homem se arrume. O metrossexual é o gay que não é gay, mas tudo bem. Tudo bem? Pra quem? Eu gosto de cueca furada, camiseta de campanha política de 10 anos atrás e calça de moleton. E quem disser que All-Star é um tênis confortável está mentindo, sim senhor.

Todo mundo que corta o cabelo “diferente” porque pediu pro irmão cortar (e ele errou) só para economizar 5 reais pode ser tachado de metrossexual, logo gay (uma pequena diferença). Sim, meu irmão cortou o meu cabelo. O que eu realmente queria dizer é que não sou gay. Não sou. Juro. É verdade! Tô falando sério!!

Deixa pra lá.

SÉRIO: Deixa pra lá.