29 junho 2004
posted by Paulo Vivan at 11:49 AM

O PERIGO DAS EMBALAGENS

Graças a raça humana, o mundo foi abençoado com o papel higiênico. Antes disso, bem, qualquer um que já limpou um bumbum com uma folha, no meio do mato, sabe que não funciona muito bem. Então, é de conhecimento de todos que o papel higiênico é uma invenção brilhante. A bomba nuclear, por seu valor científico, também é uma invenção brilhante. Logo, a humanidade tem dois orgulhos. De um lado a bomba nuclear e do outro o papel higiênico. Mas ninguém embrulhou a bomba nuclear com plástico florido!
Deve ser uma coisa meio roots. Você quer se limpar, procura por algo no banheiro e instintivamente vai para uma imagem de flores e folhas verdes. É o animal interior falando. Só pode ser isso que os designers de produto imaginaram. Será que eles fizeram pesquisa de campo? E será que eles descobriram que as folhas de determinadas rosas e tulipas eram as mais apropriadas? E por isso, para realçar o instinto, perfumaram o papel da mesma essência dessas flores? Talvez nunca saberemos.
Então chegamos num ponto em que as embalagens que embrulham nossos produtos atigem de tal maneira nossos instintos que ficamos desorientados. Ninguém faz uma embalagem de leite achocolatado com uma vaca. Devem ter medo que pensemos que o leite terá gosto de carne. Ao invés da vaquinha simpática, temos um mostro - geralmente a própria embalagem que ganhou vida - surfando num mar de chocolate. Taí uma coisa realmente assustadora, mas que vende leite achocolatado. Quando digo que as embalagens são perigosas é porque elas nos enganam, nos forçam a crêr que o produto veiculado nelas é tão bom, tão bom, que tem mais de um uso. Digo isso porque experimentei um Harpic (higienizador sanitário) Maça Verde. E acreditem: não tem gosto de maça verde.
 
28 junho 2004
posted by Paulo Vivan at 11:53 AM

CARAVANA DO DATENA

Agora, disponível em todo o Brasil, a Caravana do Datena! Mostrando todos os horrores de São Paulo, ao vivo, diretamente em sua cidade.
- Uau! Deve ser bacana! Tomara que venha para nossa cidade.

[Dez dias depois]
- Ae seu bando de filhadaputa, passa a grana senão eu estoro sua cabeça, seu bando de filhadaputa!
- Hahahaha! Que legal, a Caravana do Datena chegou!
- Calatuaboca playboy filhadaputa! Passa o rádio do teu carro, relógio, e o caralho, senão eu te enfio uma azeitona na cabeça!
- Ei, posso tirar uma foto com você?
- Filhadaputa, não, filhadaputa!
- Peraí... Suzana!!! Vem cá, vem ver a Caravana do Datena!
- Filhadaputa, não chama mais filahdaputa pra cá senãovou ter que matar todo mundo.
- Oooolha só que legal! Que bacana, Juliano.
- Não é, Suzana? Parece de verdade mesmo...
- É pessoal. Você me pegaram. Desculpa o palavreado.
- Cadê o Datena?
- Ficou preso na outra cidade. Um dos atores acabou matando mesmo um casal de velhinhos.
- Puxa, mas que coisa. Aposto que na caravana do Celso Portiolli não faz isso.
- E paga melhor, eu te garanto.
 
15 junho 2004
posted by Paulo Vivan at 4:38 PM

- Cadê minha meia preta, mãe?
- Não sei. Deve estar na gaveta de meias.

[dois minutos depois...]
- Não está lá.
- Então está na gaveta das cuecas.
- Vou ver...
- Espere aí... Você não tem meias pretas, filho.
- Eu tenho que ter. Hoje disseram no colégio que tem usa meia branca é viado.
- Que bobagem! Como é que podem dizer tudo sobre uma pessoa só pela cor de suas meias.
- O Jefferson da quinta série disse que o Marcelinho da sexta é viado e que ele usa meia branca.
- E você sabe que o menino é viado?
- Sei.
- Como?
- Bem... Eu e ele...
- Filho?
- Usamos meias brancas!
- Ai, que susto! Mas isso é uma bobagem tão grande. Seu pai usa meias brancas. Ele é viado?
- Ele falou pra eu não dizer nada.
 
08 junho 2004
posted by Paulo Vivan at 12:54 AM

O ÚLTIMO HOMEM DO PLANETA

"Nem se você fosse o último homem do planeta."

Acredito que a maioria dos homens já ouviu essa frase. Claro, é bem provável que a maioria de nós realmente tenha merecido ouvir isso. De qualquer maneira, eu a ouvi recentemente e isso me fez divagar sobre o que aconteceria se eu fosse o último homem do planeta... Eu e o mundo. Eu e mulheres.

Ninguém para jogar bola. Ninguém para colaborar num comentário machista. Nenhum amigo que possa simplesmente ficar em silêncio com você por horas. Num mundo sem homens, peidos e arrotos perderiam a graça numa velocidade incrível. Grandes fogueiras com sutiãs e biquinis seriam feitas em todas as cidades e Hebe Camargo (ou similar) seria a imperatriz desse mundo.

Imagino que eu até poderia transar com alguma nesse cenário feminista.
Talvez.
 
01 junho 2004
posted by Paulo Vivan at 11:19 AM

MEU DIA



Ê! Meu aniversário é hoje!

Eu quero uma galinha viva, um pé de pato, um chocolate salgado, um robô paraplégico e um pacote de jornal paraguaio velho. Mandem por sedex.

Também gostaria de avisar que estou fora da área de risco de piadas sem graça. Fiz 25 anos.

Obrigado, obrigado.