30 setembro 2003
posted by Paulo Vivan at 3:30 PM

Poxa, vê se passa em casa, comer aquele bolo seco, aquela gelatina azul, um pastel frio, um vinho sem álcool, um atum no saco plástico, uma goiabada com frango, um frango com chocolate, uma sopa na chapa, um milk-shake de maionese, um café com vinagre, um xarope pra tosse twist, um espetinho de acelga, aquela torrada de pão molhado, aquele mousse de abóbora, o macarrão com farofa, o sorvete de muzzarela... E ainda tem uma surpresa! Mas vê se aparece, você sempre fala, mas nunca vem.
 
17 setembro 2003
posted by Paulo Vivan at 1:57 PM

QUEM TEM GROOVE TEM TUDO

Não quero dinheiro, vou viver de música. É isso aí. Vou ser músico. Jóia! Acho que já disse isso aqui antes. Mas agora é muito mais profundo. Agora eu tenho groove. Eu não tinha groove antes, é o tipo de coisa que é assim: "Pronto. Agora eu sei que tenho groove." E daí você tem groove. Aí tudo muda.
Perguntaram na escola de música que instrumento sei tocar. Eu apenas respondi "eu tenho groove". E o cara me deixou entrar. Eu disse que tudo muda quando você tem groove. Fiquei apenas alguns minutos na escola, afinal de contas, eu tenho groove.
No meu primeiro dia com a banda, me perguntaram se eu ia cantar. Eu perguntei pro cara se ele tinha grrove, porque eu tenho. Ele não disse nada. Odeio essas discussões de banda. Exatamente a mesma coisa que aconteceu quando fomos assinar o contrato com a gravadora.
Quando a imprensa veio me entrevistar depois do terceiro disco de platina, me perguntaram se eu iria conseguir repetir esse sucesso. Eu só tinha uma coisa a dizer. Disse que não. Mas eu gostei mesmo quando outro repórter perguntou se eu tinha groove! Claro que eu tenho groove.
 
14 setembro 2003
posted by Paulo Vivan at 1:45 AM

Estou perdendo o meu tempo. Eu quero ficar sozinho com você. Vamos falar de qualquer coisa, qualquer coisa mesmo. Vamos falar sobre o tempo, que seja. Embora no começo eu possa perder toda a atenção só de olhar para você. Deve ser a criança em mim, ou a criança que sou. Mas devo te dizer que isso será inevitável, essa perda de atenção. Quando eu descobrir que se foi, é quando ela se foi de vez. A atenção, eu digo. É a mais pura admiração.
Você mantém certa distância com sistema de toques. Eu encosto em você e você me afasta. E cada vez mais eu perco meu tempo. E minha atenção. Penso no nosso futuro, e decubro uma total falta de ambição de sua parte. Talvez seja uma maneira de me proteger. Ou siplesmente falta de ambição.
E eu acho um pouco engraçado e acho um pouco triste.
 
11 setembro 2003
posted by Paulo Vivan at 12:24 PM

PURO LIXO

Tudo que eu escrevo ultimamente tem parecido a maior carga de merda que um burro pode fazer de uma vez só. Acho que vou começar a escrever sem ler... Mas aí vou parecer o José Simão escrevendo. Então vou pensar bastante antes de escrever. Ah, não, assim vou parecer o Jô Soares escrevendo... Então vou pensar um pouco, ler só metade e fazer umas sacadas legais... Mas aí vai ficar igual ao Roberto Freire. Bosta. Então vou começar a escrever o puro lixo que escrevo normalmente e vai sair igual ao Paulo Vivan. Ah, bosta.
 
06 setembro 2003
posted by Paulo Vivan at 1:02 AM

VIETNÃ, CAMBOJA OU LAOS



Primeiro eu achei que era algo isolado, algo de neo-hippie. Achei que não era nada demais. Até que a coisa estourou. E podia-se ver a fumaça de longe. Aquela fumaça branca. Estão fazendo Yakisoba nas calçadas da Avenida Paulista.
Esqueça o churrasco grego ou o hot-dog de porta de estádio. Yakisoba de rua é nojento. Não é nojento como algo podre ou morto. Mas nojento como algo vivo, que respira e te ameaça com seus líquidos turvos! Não só isso... TEM GENTE COMENDO AQUILO! Você escolhe o sabor do Yakisoba: ônibus, lotação ou motoboy.
Dá gosto de ver quem prepara. Você percebe o quanto ele se importa com quem vai comer aquilo quando ele tosse em cima do macarrão pra espantar as moscas. RACKisoba. Weeeekisoba.

Miojo: manjar dos deuses. Que venha o gafanhoto no palito!!!

 
03 setembro 2003
posted by Paulo Vivan at 4:04 PM

POR UM MUNDO MELHOR (PARTE 2)

Madrugada, o relógio desperta. Eu desperto, desligo o relógio. O relógio resiste, me dá um choque e eu desmaio. De novo.

Na nave dos Power Rangers tudo parece igual. O robô é usado como microondas e tudo parece um grande camarim de apresentador de programa infantil.
- Ai, caralho. Bom dia, porra.
- Bom dia, Power Ranger preto. - diz o Power Ranger (ex-preto) rosa.
- E ae, chega de enrolação... Dá minha arma e vamos fazer algum estrago... O que tá pegando?
- O vilão da nossa série está com um plano para dominar o mundo e...
- Tá, conta uma novidade, Rosinha. Qual o nome do vilão?
- Yorge Bem Yor. Era só Yorge Bem, mas ele mudou por causa da numerologia. E esse é um de nossos problemas. O plano dele é o seguinte: Ele está lançando no mercado o Halls sabor manga. A pílula resultará em diarréia explosiva, depressão e transformação em dançarino de axé qualquer pessoa vivendo no número de CEP que terminar com qualquer um dos números primos: 2, 3, 5, e 7.
- Claro! Você pode me explicar de novo? Derrubei minha caneta, pode pegá-la pra mim?
- Para derrotá-lo, precisamos encontrar o pergaminho sagrado.
- Minha caneta por favor, pega aí, tá no seu pé.
- E a única maneira de...
- A caneta, por favor!!
- Aqui está.
- Obrigado.
- De nada. E o que tem nesse pergaminho?
- Dentro deste pergaminho está o conhecimento para terminar o jogo "E.T. - o Extra-Terrestre" do Atari 2600.
- Certo, não vou discutir. Deixa eu só fazer umas ligações.

Alguns telefonemas depois, Will Smith e Jeff Goldblum entram na nave dos Power Rangers, instalam o Windows ME o que resulta numa bela explosão. Me dão uma carona pra casa e ainda faturo uma grana vendendo o uniforme original dos Power Rangers pra criançada do bairro.
Ah, que bosta. Eu nunca usaria um colant preto mesmo.
 
01 setembro 2003
posted by Paulo Vivan at 9:12 PM

DIGA TRINTA E TRÊS


Preciso dizer que estive doente estes dias? Novidades destes dias podres, tenho várias.
No hospital fui atendido logo depois de uma mulher igual ao Jabba the Hutt.
Quarenta graus de febre fazem você assistir filmes musicais e nem perceber.
Toda vez que eu assistia E.R. parecia que eu realmente estava lá!
Assistir TV demais faz você suscetível demais... comprei dois colchões Air-o-space, afinal de contas, nunca se sabe.
Fox News é IGUAL ao AXN, não dá pra saber a diferença.
Com febre, qualquer filme de duas horas passa a ter cinco horas e meia.
Você se questiona: "Por que é que eu não sou ator. Droga, eu bem que poderia".