29 novembro 2001
posted by Paulo Vivan at 12:00 AM

AI, MEU DEUS

Não sou um cara evangélico, muçulmano, fanático, macumbeiro, budista nem nada desse tipo. Religião, deuses... pra mim isso é como escolher doces pra uma criança. Pede pro seu sobrinho de 5 anos escolher um doce na Ofner. Fácil, fácil, né? O caramba!!!
Acho que me daria melhor com os gregos antigos, eles sim, tinham variedade, acho que era mais a minha cara.
Mas acredito que os deuses nos mandam certos sinais, e que devemos ficar atentos a eles. Por exemplo, e isso é real: Uma amiga atriz fez uma lipoaspiração esses dias, e teve duas paradas cardícas durante a operação. Sabe o que ela vai fazer??? Outra lipo!!! Essa vai pro inferno dos burros.
E será que ateu vai pro inferno? Eles devem se sentir bem idiotas chegando lá.
Também tem essas religiões que, se você não acredita no deus deles, vai pro inferno. Pense comigo: Um índio, no meio da amazônia, come peixe, caga no mato, e dorme no chão a vida inteira. Deu o maior duro pra levantar umas ocas e cuidar dos curumins. Nunca fez mal pra ninguém, morre, vai pro inferno. Por que? Por que nunca ouviu falar no deus x. Quem mandou não se informar...

Resumindo a minha crença: É duro ser religioso enquanto certas pessoas nunca são incineradas por raios que vem do céu.
 
26 novembro 2001
posted by Paulo Vivan at 12:06 PM

Estava eu jogando uma partida de DAMAS com meu amigo:
- Ha-ha! Sua pequena estratégia não funcionou! Olhe só esse movimento. Olhe e chore, meu amigo perdedor!
- Esse foi seu movimento? É a minha vez agora, certo? É tarde demais pra você mudar de idéia, né?
- Não tão rápido. Minhas mãos ainda estão no tabuleiro.
- Ok. Come, come, come, come. Ganhei.
- Você ganhou!? Aauugh!! É a ÚLTIMA vez que você ganha!!! Eu odeio quando você ganha!!! AAARRGGHH!!! MFFF!! GNNK!! Eu odeio esse jogo! Eu odeio o mundo! Aghhh, que jogo estúpido!! Você roubou! Você usou algum truque mental pra me fazer perder! Eu odeio você! Eu nem queria jogar esse jogo idiota pra começar! Eu sabia que você ia roubar! Eu sabia que você ia ganhar!
AAAAAAAAAAAAAARRRRRRGGGGGGHHHHHHH!!!

Depois de alguns momentos de silêncio:
- Olha, Paulinho, é só um jogo.
- Eu sei. Você devia me ver quando eu perco na vida real.
 
posted by Paulo Vivan at 11:18 AM

VIVA O MOMENTO

"Viva o momento". Este é o meu lema. Você nunca sabe quando vai morrer, nunca sabe quanto tempo tem pra aproveitar o resto da sua vida. Pode ser que você vá atravessar a rua e uma moto te jogue pro alto e você abra a cabeça no meio fio. Um caminhão de cimento virar a esquina e pegar você em cheio. Um ônibs desgovernado atropelar você no farol vermelho. Um velho de óculos amarelo pode passa por cima de você com um Dodge e você estrebucha no chão esperando a ambulância que está presa no trânsito... e...
Pera aí... Acho que mudei o meu lema. "Olhe para os dois lados antes de atravessar" parece-me melhor.
 
23 novembro 2001
posted by Paulo Vivan at 1:04 AM

A VIRTUDE É UM DEFEITO

Não é preguiça, e sim, falta de tempo. Perdoem-me queridos seguidores do ChickenDog pela falta de posts ultimamente. Mas prometo que esse fim de semana o negócio deslancha de novo.
"Deslanchar" ficou parecendo que eu não tenho lancha nem lanche... Enfim... Teremos novidades em breve aqui no ChickenDog, novo visual, confetes, balinhas de graça e aquela palhaçada toda.
O meu pc daqui de casa agora resolveu cooperar, saiu da preguiça. E pergunto pra você: se pra mim preguiça é uma virtude, logo, a virtude é um defeito?

Nossa, que merda de post.
 
16 novembro 2001
posted by Paulo Vivan at 4:21 PM

Minha vó chegou em casa, voltando do supermecado com um pacote de balas Soft.
Para mim, balas Soft são como drogas pesadas. Você sabe que vai ser bom, uma puta viagem, mas é um baita perigo e pode não ter volta. Quem nunca se engasgou com bala Soft que me mande um e-mail! A bala Soft é feita para o engasgo. Lá está, você, chupando aquela bala Soft, vermelha, arredondada, oval, com aquela pequena depressão no meio que encaixa no céu da boca... É maravilhoso... Você então, querendo extrair um pouquinho mais de sabor da sua balinha, dá aquela chupadinha mais profunda e ZUPT!...
GHACK!! COF!! COF!!......... Direto na garganta.
E quem não gostar de bala Soft que vá comer jujuba e bala de goma. Essa sim é a maior enganação do mundo sagrado dos doces. Jujuba e bala de goma, todas coloridinhas, lindinhas e pra que? Todas têm o mesmo gosto, não importa a cor!!! Essa poderia até virar uma frase de campanha contra o racismo: "SOMOS TODOS JUJUBAS"
 
10 novembro 2001
posted by Paulo Vivan at 4:04 PM

"HEY, YIPPIE, YI, YO"

O nosso mundo é cheio de grandes compositores, grandes músicos. Eles sempre vão tentar atingir novos patamares na música, mas, as vezes, vão longe demais. Graças as minhas amiguinhas que me confinaram num carro, pude ter o (des)prazer de ouvir esses mestres que foram longe demais:

BAHA MEN - WHO LET THE DOGS OUT:
Quem deixou os cachorros saírem? Quem deixou esses cara gravarem? Quem deixou esse caras ganharem um Grammy? Não contentes com tudo isso, influenciaram a maravilhosa onda funk no brasil, com o cover "Só as cachorra". E eu também gostaria de saber como foi a composição da música.
- Ei, cara! Já sei: vamos latir e ofegar como cachorros!!
- Hey, yippie, yi, yo! Que idéia genial!
- "Hey, yippie, yi, yo"?! Puxa meu irmão, vamos colocar isso também!

MENUDO - SUBETE A MI MOTO:
Toda minha infância se passou sem que eu tivesse que ouvir uma música inteira do Menudo. Pois é, depois de adulto... Enfim, ainda bem que Ricky pegou sua lambreta e começou Livin la vida loca. E o melhor: ouvi a versão ao vivo, comprada no Carrefour por R$2,50. Esse é preço da verdadeira música. Mas sou fã mesmo é do Polegar.

Não consegui esperar o que viria depois do cd player dessas meninas. Abri a porta do carro em movimento e rolei pra fora na Rebouças.
 
09 novembro 2001
posted by Paulo Vivan at 2:12 PM

MAIS PENSAMENTOS ARTÍSTICOS

A parte mais difícil para nós, artistas da avant-garde, é decidir se iremos ou não abraçar o comercialismo.
Permitiremos que nosso trabalho seja explorado e superexposto por um mercado que está faminto pelo próximo modismo, a chamada "next big thing"? Participaremos de um sistema que transforma a boa e profunda arte em algo superficial, para que seja mais apropriada para o consumo de massa?
E é claro, quando um artista entra nesse meio comercial, ele debocha do seu status de "outsider" e de livre pensador. Ele se vende aos valores rasos e crassos que a verdadeira arte deve transceder. Esse artista comercial troca a integridade de sua arte por dinheiro e fama.
E sabe de uma coisa? Eu topo.

E então você me diz: "Não foi tão difícil."
 
posted by Paulo Vivan at 1:33 PM

LET'S DANCE

Acho que vou abrir um bar ou danceteria. Ia ser demais. Eu ia cobrar uns 70 paus pras mulheres, e uns 100 paus pros homens. Para entrar na casa, ia formar três filas diferentes, bem confusas, e que no final, dariam no mesmo lugar. Você pode colocar o seu nome na lista, ter convite VIP, mas também não ia fazer a menor diferença na hora de entrar. Você ia pagar a mesma coisa que os outros. Fora que você iria arranjar a maior confusão pra achar o seu nome na lista VIP, que nós iríamos perder de propósito. E se você perdesse o seu cartão de consumação, ia ter que dançar pelado num palquinho, ou pagar 500 reais. O som ia ser tão alto, mas tão alto, que você ia lembrar da balada por dias e dias. Seu otorrinolaringologista ia adorar a casa. As músicas seriam remixes do Rick Wakeman e do Yes, esticadas para 25 e 30 minutos cada uma. O banheiro seria pago. A cerveja custaria 8 reais - a latinha de Cintra. Não ia ter nada pra comer. Na hora de ir embora, só ia deixar UM caixa pras pessoas pagarem na hora de sair. A fila ia ser tão grande que se misturaria na pista. Agora só falta um nome bem babaca... Algo do tipo: ULTRA CLUB, MEGADANCING ou MUSIC BLASTER 3.
E o mais incrível: essa porra ia ser um puta sucesso aqui em São Paulo.
AAAAAAAARRRRGHHHHH!!!!!
 
08 novembro 2001
posted by Paulo Vivan at 11:12 AM

Interior de São Paulo é uma coisa de louco. Ou de criança? Pois foi assim que eu me senti. Fui pra Águas de São Pedro e me senti um ET. Melhor, me senti aquela criança defeituosa que você não quer olhar no metrô. Todos te olham mas ninguém fala com você. Parece que você entrou num colégio novo. Todo mundo se conhece, se fala, se cumprimenta e você fica num canto sendo observado.
As pessoas cochicham e olham pra você. O garçom te atende desconfiado. Você tenta se aproximar, fazer contato com as pessoas, tenta ser engraçado, faz piada... Eles não riem. Você então comenta sobre o tempo... Eles não dão a mínima. Afinal de contas, todas as pessoas no interior de São Paulo, tem o poder mutante da previsão do tempo.
Então você pergunta o que as pessoas fazem... Ninguém faz nada, porque nunca tem nada pra fazer. Acaba aí o assunto, e os locais vão se drogar.

E depois carioca que é chato.
"O Rio de Janeiro continua liiiindo..."
 
07 novembro 2001
posted by Paulo Vivan at 11:24 AM

HARRY POTTER E A...

Estou de saco cheio de ler, ver e ouvir falar de Harry Potter. É por isso que nerds não podem fazer sucesso. Veja só o Bill Gates. Mas enfim, andei pensando em novos títulos para a saga do Harry Potter, já que todo garoto deve crescer e evoluir:

- Harry Potter e a Puta que o pariu:
Todos seus amigos ficam mandando ele pra puta que o pariu mas Harry não entende o porque. No final, ele descobre que a sua mãe era realmente uma puta.
- Harry Potter e a vagabunda da vizinha:
Harry perde a virgindade com sua vizinha e se apaixona. Mal sabe ele que a vizinha também dá pro bairro inteiro.
- Harry Potter e o professor homossexual:
Um novo professor com idéias revolucionárias entra na vida de Harry Potter.
- Harry Potter e o atum estragado:
O pequeno mágico abre uma lata de atum estragado e manda pra barriga. Passa o livro inteiro refletindo no banheiro.
 
01 novembro 2001
posted by Paulo Vivan at 11:50 AM

SOBRE O MEU BLOG

Recentemente tenho ouvido e lido muitas críticas positivas e negativas sobre o meu blog. Minha resolução:

Por um lado, é um bom sinal para nós artistas que, nessa era de bombardeio visual de toda mídia, um simples desenho, texto ou foto ainda pode chocar as pessoas. Isso confirma que ainda temos o poder.
Pelo outro lado, pessoas com atitudes reacionárias e retrógradas referentes a esses recentes choques visuais, mostram como a nossa sociedade é culturalmente analfabeta e que a maioria das pessoas não sabe distinguir a boa arte de um buraco no chão.
Meus textos obviamente desafiam a complacência desses "sabe-nada" que preferem algo já estabelecido, pré-digerido, gêneros e cenários bucólicos.
Este fato me estabelece firmemente na linha de frente da avant-garde.

E então você me diz: "Você não tem que usar roupas ridículas, então?"
 
posted by Paulo Vivan at 12:27 AM

EU TENHO ESSE PROBLEMA...

Ultimamente tenho andando meio revoltado comigo mesmo. Porra, toda foto que eu tiro eu saio com os olhos vermelhos. Não é brincadeira, não. Pode ser formatura, festa de criaça, bar-mitzvas, bar-botecos e ao ar livre, é sempre a mesma história. Eu com meus olhos pegando fogo na foto. Minha avó, com medo de possessão demoníaca e infecção na vista marcou consulta pra mim num padre/oftalmologista. Coisas de avó. Cheguei no consultório/paróquia:
- Olá, meu filho. Sente-se, que um de nossos coroinhas irá dilatar a sua vista. - disse o pastor/doutor.
- Não, por favor! Não dilate a minha vista... pelo amor de Deus!
- O que isso meu filho! Não começamos a rezar ainda. Hahahaha! Gostou dessa, não é?
(pausa longa, silenciosa e constragedora)
- Enfim, já sei a como resolver seu problema. Todo dia pela manhã, pela tarde e pela noite, antes e depois das refeições, você deverá fazer um certo ritual. Deverá comer um pote de Sucrilhos.
- Ahn... Certo... Mas... o que isso tem a ver?
- Sucrilhos tem muitas vitaminas. Cada hora inventam uma vitamina nova e provavelmente lá deve ter de tudo. E pegue esta Polaroid. Vá tirando fotos de si mesmo conforme o dia for passando pra checar se seus olhos estão vermelhos.
- Obrigado oftalmoteologista.

Entao, fui tirando as fotos, comendo meu Sucrilhos (agora com mais de 34 vitaminas) e encontrei com alguns amigos meus na padaria.
- Fala Paulão! Só no Sucrilhos, hein!? E pra que essa Polaroid?
- (crunch) Sabe o que é... (crunch) Eu tenho esse problema...